health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

Características, características, características...


Hoje é quarta-feira. Pelo menos nesse momento em que estou escrevendo esse texto. Em todo lugar que se pisa, sempre tem algumas pessoas falando sobre o Campeonato Brasileiro. Enfim, esse tema voltou a ser um “tema sensação” como há muito não se via.

Mas por hora, vamos deixar um pouco de lado as disputas entre São Paulo, Flamengo, Inter, Palmeiras, ou então entre Atlético-PR, Botafogo e Fluminense. Vamos direto ao ponto central desse post: “o problema do futebol brasileiro não é a falta de qualidade se comparado com o europeu, mas sim, os conservadores que insistem em não reconhecer característica brasileira (a até mesmo sul-americana) pura e simplesmente como características”.

Frases costumeiramente ditas sobre o BR’09:

“Está emocionante, porém, nivelado por baixo”.

“Teremos o campeão mais irregular da história de pontos corridos”. (Em outros anos de pontos corridos, dizia-se que tínhamos as disputas mais sem graça).

“Os times estão aprendendo a enfrentar essa disputa, mas ainda tem que melhorar muito no padrão tático, na qualidade, na regularidade de passes, assistências...”.

“A liga brasileira é mais empolgante, mas as européias são melhores no quesito aplicação e técnica”.

Em 1960 os grandes nomes do futebol brasileiro tinham na sua principal virtude a habilidade. Garrincha encantava os botafoguenses com as entortadas nos adversários. Pelé, com a camisa santista, deixava Deus e o mundo de boca aberta, com a sua fenomenal categoria.

O Brasil foi campeão do mundo em 1958 (um aperitivo) e em 1962 (a certeza).

Em 1970 os grandes nomes do futebol brasileiro tinham na sua principal virtude a habilidade. Gerson Canhotinha de Ouro era um primor com seus lançamentos magníficos. Jairzinho foi um furacão e substitui com muita desenvoltura o astro Garrincha no alvinegro carioca.

O Brasil foi campeão do mundo em 1970 (a confirmação).

Os anos 80, para muita gente, foi um verdadeiro entretenimento. O futebol divertia o povo de verdade. O Flamengo arrastava suas multidões com glórias e conquistas. O Atlético-MG se mostrava um rival interessante e fazia grandes clássicos com o time da Gávea. O Grêmio, que buscava se igualar ao rival estadual, foi além e ganhou o mundo. Em São Paulo, não tinha Pelé, mas tinha a Democracia Corinthiana, responsável por empolgar o povão paulista.

Apesar da seleção não ter conquistado o mundial nessa década, os brasileiros reconheciam a qualidade dos times formados para vestir a camisa canarinho.

Na década de 90, a continuação da emoção. E pra dar um tom de dramaticidade, após 24 anos, o Brasil voltava a ser campeão mundial. É tetra! É tetra!

Mas a partir daí, a globalização tomou conta do planeta e do futebol. Os jogadores daqui passaram a reinar na Europa. E lá, no Velho Mundo, parece que de repente, eles alcançaram uma “perfeição visionária”.

Voltamos ao ano de 2009. Será mesmo que estamos por baixo dos Europeus no quesito qualidade?

Estamos tendo um campeonato excepcional. Uma disputa acirrada e emocionante. Jogos de arrepiar os cabelos. A principal qualidade do mata-mata, tão defendido por uns, foi resgatada em pleno Brasileirão de pontos corridos.

E na Europa? O mais do mesmo. Mas de uns anos pra cá, melhorado com um tempero SULAMERICANO.

Será que esses jornalistas brasileiros que insistem em dizer que aqui falta qualidade, regularidade ou algo parecido, não poderiam pensar um pouco e analisar que existe diferenças de característica pro futebol apresentado lá e cá?

O tempo passou, como vem passando, e algumas transformações aconteceram de forma natural. Mas nós, que antes éramos superiores, não mudamos nossas características para ficarmos abaixo do futebol europeu.

FME News

Não percam a atual edição do DEBATSPORTS que teve convidado especial. Participem também da Seleção do Debatsports. Não perca!

E por motivo de provas e trabalhos na faculdade deste blogueiro, nesta terça, não houve postagem do Futebol Recordação no blog Pitacos do Bodaum.

7 comentários:

Marcela Semler disse...

Sim Wilson, estamos diante de um campeonato emocionante que não fica devendo pra nenhum mata-mata por aí... faltam apenas duas rodadas e o campeonato está aberto para 4 times, sendo que qualquer um deles pode ser o campeão! (mas quero que esse ano seja de tetra =D)

Mas o povo é complicado... tá parecendo nós mulheres: se tem cabelo liso, quer ondular; se tem ondulado, quer alisar; loira quer ser morena; morena quer ser loira... Não importa a forma de disputa, sempre vai ter alguém reclamando... é dose hein...

hauhauhauahuahauhauah

Beijos da Colorada FAVORITA!!!

Excelente texto... Bem vc e texto excelente chega ser redundante!!!!

*-*

Felipe Delfim disse...

Tb não entendo a crença do povo em dizer que o Brasileirão é tão inferior aos campeonatos europeus...
Tudo bem que lá temos craques, os melhores gramados, mais investimento, etc... tem seus defeitos. Lá a arbitragem não é perfeita, sempre dá a Lógica (os gigantes lá em cima)... enquanto o Brasileirão é imprevisível.
O campeonato Brasileiro realmente não deve nada ao europeu. Belo texto, cara!
Abraço WH!

Blog do Vascão disse...

Engraçado os entendidos do futebol falarem que esta nivelado por baixo, se quase sempre quando um time brasileiro ou argentino chega ao mundial bate os europeus, incrível não?

Parabéns pela postagem.
Abraço
Jeferson

Jefferson freire disse...

WH, existem jogos europeus q são tão ruins que simplesmente não dá pra ver. É melhor ver um jogo da 3ª divisão. O futebol brasileiro é muito bom e tivemos diversas partidas eletrizantes e emocionantes com bom nível técnico. Essa de ficar diminuindo nosso campeonato face ao europeu é papo de quem só sabe criticar e nada mais.

SRN

Gremista Fanático disse...

Cara, o povo brasileiro e a imprensa brasileira são muito exigentes e isso é normal, mas acho que esse papo de que nosso campeoanto é menos tecnico que os outros é balela, alem de ser muito mais competitivo é tambem uma verdadeira e inesgotavel fabrica de talentos que a cada temporada fazem com que os campeonatos europeus sejam melhores, mas nada que se compare ao nosso. abraço.

Saudações do Gremista Fanático

Rafaela Andrade disse...

Falta coerência aos jornalistas, eu me pergunto se não é só para ser notícia, porque num dia o time é bom, no outro é ruim, no outro é bom, depois é ruim... assim é fácil ser comentarista.
Pra mim tá ótimo eu sou tri campeã da era dos pontos corridos, não fosse o egoísmo dessa frase diria que o campeonato é disputado sim, ninguém sabe como será a próxima rodada...
www.apenasumponto.blogspot.com
www.apenasumpontoesportivo.blogspot.com

Futebol ao Cubo disse...

Fala, cara!

Esse é um assunto tratado com certo extremismo. Quem prefere o futebol brasileiro diz que o europeu é sem graça, enquanto quem prefere o europeu sempre usa essa frase do nivelado por baixo no Brasil.

Cada um tem sua característica e ponto. Sou fã dos campeonatos europeus, mas tenho dificuldades em prender minha atenção na maioria dos jogos do Camp. Italiano.

A enorme diferença está mesmo na organização dos campeonatos, não dá pra um país imenso como o Brasil, com potencial de termos uma Série B fortíssima, ser refém de uma emissorinha ridícula que coloca quase todos os jogos no mesmo horário, nos impedindo de curtir mais o campeonato. Com essas e tantas outras coisas que se cria um certo olhar amargo com o futebol daqui, mas dentro de campo não deve em nada aos campeonatos europeus.


Abraços!