health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

É preciso aprender a vender ingressos.



É evidente que a final da Libertadores não possui a mesma representatividade de uma Copa do Mundo, entretanto, é normal que alguns acontecimentos no Brasil, passem a servir de parâmetros para 2014, quando o país sediará o Mundial. E quando nos depararmos com inoperância e incompetência em certas ocasiões, será natural que nos preocupemos, pois existe uma infinidade de encargos da FIFA que o Brasil deve seguir, e ainda, nada se iniciou.

Se já fosse possível perceber que há um aprendizado com organizações de eventos que atraem aglomerados, poderíamos ficar mais tranqüilos com relação a Copa. Mas não foi o que aconteceu na venda de ingressos para a segunda partida entre Fluminense e LDU que acontecerá no Maracanã. Uma verdadeira balbúrdia! Várias partes envolvidas como a SUDERJ, a PM e o próprio clube e ninguém conseguiu ordenar a venda das entradas para os torcedores comuns, que só tinham direito a duas entradas. E já surge a pergunta-clichê: Como os cambistas conseguiram comprar mais de dois, ou melhor, BEM MAIS de dois?

Foram postos à venda 59 mil ingressos. A Conmebol ficou com 1.500, o Passaporte Tricolor com 7 mil e a LDU com 800 (mesmo valor destinado a torcedores do Fluminense no jogo de Quito).

Aos sócios, lhes foram destinados duas entradas inteiras e uma meia-entrada para cada. E como é possível haver sócios com inúmeros ingressos? É justo? Há empresas que também tiveram poder para adquirir dezenas de ingressos. Será que essas empresas terão gente para todos os ingressos que conseguiram? Até quando teremos que ver as autoridades assinarem atestado de incompetência (ou de ação por interesse) nesses eventos “públicos”?

Essas perguntas não estão sendo feitas pela primeira vez e também não serão respondidas tão cedo. Mas é explícito que problemas existiram para a venda de ingressos e que para se organizar um mundial (que acontecerá em 2014) essa é uma tarefa básica e sem ela, a impossibilidade começa a pairar sobre a cabeça dos torcedores, principalmente aqueles que enfrentaram esse embate.

Em entrevista ao jornal Extra antes de começar a venda dos ingressos, o major Busnello, do GEPE (grupamento responsável pela segurança em estádios de futebol no Rio de Janeiro) havia feito um pedido:

Pedimos ao torcedor que ele compre os ingressos na bilheteria. Estamos disponibilizando diversos postos de compra e estendemos o horário de vendas. Que ele participe e ajude diretamente o clube. Se não tiver jeito, a televisão aberta vai transmitir. Não colaborem com essas ações ilegais”.

Torcedores que estiveram enfrentando horas nas filas testemunharam um tratamento nada sutil da polícia e com certeza, se pudessem, também fariam um pedido aos homens da “segurança”, que tratasse com mais respeito os torcedores que possuem um único objetivo, que é o de comprar o ingresso para a final histórica do seu clube de coração.

Encerro esse post de indignação pelo excesso de truculência da policia, incompetência da SUDERJ e omissão do clube com relação à torcida, com um trecho do blog do Flusócio:

O torcedor do Fluminense, o torcedor comum, aquele que não tem esquema, que não dá jeitinho, está sendo desrespeitado, afrontado pelo clube que ele tanto ama. O que está havendo neste sábado é o caos, principalmente nas Laranjeiras e no Maracanã. É uma afronta ao torcedor tricolor.

Não venha a diretoria querer culpar terceiros. Ela é a responsável! As perguntas que não querem calar: todos os torcedores passaram ou passarão pelo verdadeiro suplício a que foram submetidos milhares de tricolores? O limite de dois ingressos vale mesmo para todos? Há alguém, além de cambistas, lucrando com ingressos? Como explicar centenas de ingressos que aparecem nas mãos dos cambistas? Eles conseguem fazer o milagre da multiplicação?

Caro torcedor do Fluminense, você não merece isso. Você tem feito festas alucinantes nas arquibancadas, mas recebe este tratamento lamentável em troca. Infelizmente, nossa diretoria parece não se importar com o torcedor.





Deixe esse post melhor. Faça um comentário.

2 comentários:

Carlão Azul disse...

No Brasil muita coisa precisa mudar, e esse negocio de venda de ingressos com problemas ja e muito velho....



Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense - BLog
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Vinicius Grissi disse...

Realmente, a venda de ingressos no Brasil é uma vergonha. Em todos os campeonatos, para todos os clubes. Qualquer jogo com boa expectativa de bom público, gera caos nas bilheterias. Precisamos melhorar MUITO para estarmos em condições de receber uma Copa do Mundo.