health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

The Cosmos Rock



Por Efraim Fernandes do blog Frames Por Segundo


Treze anos após o Made in Heaven, Queen, uma das melhores bandas de todos os tempos retorna ao lado de Paul Rodgers – ex Free e Bad Company – nos vocais. Ok, a resposta que todos já sabem. “O Queen não é o mesmo sem Mercury!”. Mas ouça o novo trabalho The Cosmos Rock. Roger Taylor e Brian May, baterista e guitarrista da banda, são os remanescentes que compuseram o novo trabalho juntamente com Rodgers. Não se sabe o motivo real de John Deacon, baixista, estar de fora da nova empreitada, mas ele foi homenageado assim como Fred neste álbum.


O compacto traz boas faixas, algumas dançantes com influências claras de blues, country e hard rock. A primeira é Cosmos Rockin’. O som é embalado pela guitarra de May e palmas. O vocal de Rodgers realmente não deixa a desejar e Mercury via neste cantor um ídolo.

A segunda, Time to Shine, é marcada por um vocal melódico no refrão. Still Burnin’ é a terceira e segue sem muito destaque, assim como War Boys que é a quinta faixa. Small é bem emotiva, refrões e backing vocals que trazem maior valor a canção. We Believe é interessante e traz novamente aqueles riffs característicos de May. Uma canção bem construída, de mensagem positiva, emotiva e edificante.

Call Me é bem country não só pela forma como cantada, mas pelo instrumental. Esta é uma daquelas de se fazer coreografia num salão, com mão no chapéu e outro na fivela ou batendo as mãos e pés no chão como nos filmes americanos. Canção curta, fácil de se cantar que fica na cabeça para não sair mais. Em seguida, Voodoo. Bem blues que fala sobre amor de ritmo bem sensual. Dá vontade de ouvir no carro em uma viagem. Rodgers manda bem com entonações baixas, em certos momentos uns agudos, mas sem exageros.

Some Things That Glitter é mais uma bem emocional de belos arranjos, acompanhada do piano, guitarra e vocal. C-elebrity tem chances de ser uma de maior destaque pela pegada um tanto enérgica e vocal mais poderoso. Por falar em vocal, Taylor Hawkins, baterista do Foo Fighrters é quem canta. Segue Through The Night, melodia sobre raiva, amor e solidão.


Um dos destaques é Say It’s Not True cantada por Roger Taylor. Nesta mais do que nas outras o riff de guitarra inegável do Queen e uma das mais belas do álbum, sem dúvida. É parte da campanha 46664 HIV/Aids, de Nelson Mandela. Surf’s Up... School’s Out! é sobre diversão pura, perfeita para fazer parte de trilhas sonoras de filmes adolescentes oitentistas como Clube dos Cinco ou Curtindo a Vida Adoidado. Encerrando o álbum, Small (Reprise).

The Cosmos Rock tem ritmo e energia. É Rock ‘n’ Roll! Vai fazer muita gente levantar e dançar, bater os pés e cantar. Fiquem atentos ao estilo vocal de Paul Rodgers, contudo, um aviso aqueles que nunca ouviram a banda Queen: Não espere encontrar lá um substituto para Fred Mercury, já que isso nunca existirá! Ouça a formação original nos seus melhores trabalhos para ter a noção da grandeza destes músicos. Depois, escute The Cosmos Rock. Não desmerecendo o novo trabalho, mas há uma clara diferença.


Deixe esse post melhor. Faça um comentário.

Um comentário:

Gremista Fanático disse...

Legal essas bandas top das antigas fazendo flashback nostalgico, dias desse o Metallica lançou um album novo tambem. maneiro vou da uma conferida. abraço.