health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

Globo/católicos x Record/evangélicos

Primeiramente peço desculpas aos amigos blogueiros que muito provavelmente vieram em meu espaço esperando encontrar textos sobre os clássicos que aconteceram nos estaduais pelo país, mas hoje, farei um texto que nada tem haver com o futebol, mas com um assunto que vem ganhando muitos contornos em nossa sociedade que é a guerra Globo/católicos x Record/evangélicos. Que, aliás, acredito ser de tamanha importância para nós brasileiros enquanto cidadãos.

Durante essa semana que passou, foi ao ar pela TV Globo, na novela Duas caras, cenas de violência envolvendo evangélicos e não evangélicos na favela fictícia Portelinha. Foi claramente demonstrado o quão fanáticos são os evangélicos na visão da emissora, por mais que tal afirmação seja negada pelo autor da telenovela, Agnaldo Silva, em seu blog. Em contrapartida, a Rede Record voltou a contra-atacar a emissora carioca no programa “Domingo Espetacular”, apresentado por Paulo Henrique Amorim (ex-Globo), que foi ao ar na noite de ontem. Na reportagem, a emissora de bispo Edir Macedo, alega que os evangélicos são retratados como fanáticos e tiveram suas imagens associadas a “violência, intolerância e preconceito” com cenas considerada, como foi dito na matéria da Record, “chocante”. A reportagem ouviu líderes religiosos (da comunidade evangélica e judaica) que também criticaram as cenas da novela, além de ouvir especialistas em telecomunicação que se solidarizaram com os evangélicos, dizendo ser inaceitáveis tais cenas serem apresentadas por uma emissora de grande alcance mundial.

O nosso problema (enquanto nação) é que foi totalmente deturpada a pregação de Martin Lutero quando fez a revolta protestante contra a igreja católica que era tida como instituição financeira e alienadora, que proibia seus fiéis de ler livros extra-religiosos e cobrava altas quantias nos dízimos, além da acumular riquezas e manter posses latifundiárias.

Hoje, o evangélico no Brasil (não todos, mas boa parte) não faz a mínima idéia de como a nasceu essa onda contrária a igreja católica. Muitos acreditam que a questão é: evangélicos com Deus x outras religiões com o diabo. Aí a coisa desaba para a incompreensão e a rivalidade totalmente absurda, preconceituosa e descabida.

Acredito veemente, que não podemos fazer do Brasil uma Irlanda. Record e Globo estão totalmente erradas em, através da defesa de seus interesses, promoverem guerras através de suas grades de programação na TV entre católicos e evangélicos. Nosso país já possui muitos problemas sociais e conceituais, e agora corremos o risco de nos vermos numa "guerra" religiosa.

Nenhuma das religiões são perfeitas, e as pessoas deveriam ter em mente, que Deus com certeza não é a favor da discórdia em nome da crença em sua existência.

Volto a repetir que não podemos fazer do Brasil uma Irlanda e ao mesmo tempo em que defendemos o fim do preconceito racial, sexual e social, devemos também estender nossas mãos para a passividade entre os religiosos e abrir nossas mentes para o avanço humano demonstrando que é totalmente possível vivermos numa sociedade harmoniosa, onde todas as escolhas do próximo são respeitadas e parar de uma vez por todas que a história de que “a religião do outro é errada e por isso temos que apedrejá-la”.

Se existem pessoas que não concordam com situações financeiras existentes nas religiões, existem formas muito mais inteligentes, racionais, e eficazes de demonstrar sua desconsideração e indignação que não o apoio à violência e afins.

**Para ler textos sobre os clássicos, eu indico os blogs linkados à direita. Há blogs para todos os gostos.




Deixe esse post melhor. Faça seu comentário.

11 comentários:

Vinicius Grissi disse...

As cenas da novela realmente foram pesadas demais e desnecessárias. Pegaram pesado.

Esta guerra não terá fim tão cedo.

adriano feliz da vida disse...

HAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!

FOGÃO 3X2 FLAVELA...

TEXTO DE SEGUNDA DO BLOG DO WILSON:
CATOLICOS GLOBO X EVANGELICOS RECORD

HAHAHAHAHAHAHAH!!!!!!! Q FANATISMO HEIM

ñ ganha nadaaaaa
só com juiz ladrããão
e quando perdeeeee
fica escondidãããão

hahahahahahaha fogoooooooo!!!!!!

snoopy disse...

fala wh!

esse assunto é muito polêmico.
como católico, vindo de uma forte criação católica, vejo como desrespeitosa e aproveitadora a posição da globo com as cenas de violência na novela, que fogem à realidade.

você foi preciso ao mostrar a deturpação do luterismo, que diverge vertiginosamente da visão da igreja evangélica de hoje em dia.

as igrejas são conduzidas por seres humanos, passíveis de erros, e se isso fosse levado em consideração pelas autoridades religiodas, não teríamos de discutir qual é a melhor.

parabéns pelo texto!

abraço!

Carlão Azul disse...

Assunto melindroso, post muito bem feito.
Parabéns por ajudar a "pregar" a HARMONIA.
Sou católico praticante, mas condeno veementemente a intolerância e o fanatismo, sejam eles praticados por católicos ou não.....

Abraços

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
SAIBA TUDO SOBRE O MAIOR DE MINAS
SAIBA TUDO SOBRE O MAIOR DE MINAS
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

André Rocha disse...

Esse é um assunto complexo e o tema é sensível e normalmente fere susceptibilidades.

Mas cabe a informação que a novela tem evangélicos intolerantes, mas também teve a menina que morreu no tiroteio na favela e seu pai que eram pessoas do bem. E tem também o personagem Ezequiel, um cidadão honesto, de bem, que procura ajudar as pessoas.

Não é defesa da Globo, que realmente exagerou nas cenas (embora elas aconteçam na realidade), mas é um fato que ameniza o discurso radical da Record.

Diego Louzada disse...

Não vi a novela, mas sobre o assunto posso comentar com propriedade já que tenho alguns evangélicos na família e sei bem como eles agem em relação a outras religiões e até mesmo outras denominações.
Já os católicos, a maioria não é praticante, e não são tão fanáticos.
Não tenho religião efetiva, tenho aquilo que entendo como certo e procuro agir da melhor forma possível, sempre respeitando os outros e não prejudicando ninguém.
Preconceito não combina com o ideal de Deus, Alá, Buda ou qualquer outro nome que queiram dar.
Respeito às diferenças sempre.
Abraços!@

Danilo Damasceno disse...

Cara primeiramente belo texto, segundo pela lembrança de quando foi dividido a igreja, mas queria lembrar que quando a igreja se dividiu com Lutero que era devoto de Nossa Senhora, creio que a vontade dele não era de melhorar e de sim mudar as coisas para o seu proposito, mesmo assim as igrejas foram deturbando tudo, hoje em dia religião virou negocio,em cada esquina tem uma igreja de um nome diferente, a globo errou com toda certeza, mas a briga fora das telinhas entre as emissoras vem do futebol, uma quer o CB a outra já o tem e não abre mão, a unica pergunta que fica é de onde vem o dinheiro da Record? Só para lembrar que me corrija se eu estiver errado, por ser tratar de igreja não se paga impostos, e se o dinheiro que vem da igreja não paga impostos e o dono da Record é dono de igreja, então esse dinheiro empregado na tv é licito ou ilicito? Será que a Globo não paga impostos? Sei lá esse assunto da pano pra manga. Sou catolico praticante, mas njão condeno nehuma outra religião, e por isso não aceito que condene a minha. Liberdade para todos, ninguem é perfeito e religião não salva ninguem o unico que salva é Deus e é nele que confio. Parabens mais uma vez WH pelo belo texto e pela bela demonstração que um blog pode trazer além de entreterimento, informação, acima de tudo paz e harmonia!Abração

Carlão Azul disse...

O Andre Rocha fez uma boa observação, muito pertinente sobre os outros lados que a novela abordou que "teoricamente" reproduzem uma imagem positiva de evangélicos, ou seja, se neste episódio da "intolerância" que foi retratado a imagem mostrada foi negativa, mas no outro ela foi boa, portanto sem querer defender a emissora, não há motivos pra reclamação por parte dos evangélicos, afinal entre eles como entre católicos todos os 2 tipos de comportamento existem.

Rui Moura disse...

Meu amigo, se há alguém que pode falar livremente de religião sou eu, porque não partilho nenhuma. Creio na energia eterna, simpatizo com as proposições budistas (de um 'Deus' que foi ser vivo), mas em nenhuma religião terrena.

Considero, no entanto, que a religião é uma das coisas mais íntimas dos homens, que deve ser tratada com a veleidade que o assunto merece e que nenhum cidadão deve ser alvo de crítica sobre algo que pertence à sua profunda intimidade.

Em minha opinião, são absolutamente condenáveis os ataques feitos às religiões (como a outras preferências: políticas, clubistas, sexuais, etc.) e considero que é muito grave o conflito mundial nesta matéria, o qual alguns pretendem que chegue à guerra das civilizações. Se uma tal guerra deflagra, perderemos todos.

Quando o homem compreender que o registro religioso é semelhante para todos (católicos, evangélicos, muçulmanos, etc.), então o mundo será mais seguro e melhor - e creio que qualquer que seja o 'Deus', Ele ficaria satisfeito com essa compreensão - precisamente porque é 'Deus'.

Desejo muito que um dia haja um mundo em que cada qual respeite, com a profundidade que tal sentimento exige, as opções de vivência e de religião de cada cidadão - precisamente porque se almeja atingir a cidadania para todos.

Saudações amigas, Wilson.

Rui Moura disse...

Caro "Adriano Feliz da Vida"

Sou botafoguense, fico feliz sempre que o meu clube ganha, mas você escolheu mal o flamenguista da sua gozação. O Wilson é um flamenguista impecável e não tem nada de "flavelado".

Saudações.

Anônimo disse...

nao e a igreja que sao erradas e sim as pessoas que nelas estao, intepreitando a blibia nao com o espirito santo mas como homens com entedimentos carnais