health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

Um amor inexistente.


Mais uma vez a sociedade presencia um ato negativo transformado em espetáculo pela mídia. Mais uma vez a policia tentou se auto-glorificar numa ação que supostamente terminaria sem disparos e sem feridos, porém infelizmente não foi o caso. Mais uma vez o final foi maléfico. Mais uma vez foi provado que a ação por emoção não é mais viável que a ação pela razão.

O seqüestro histórico que aconteceu no município de Santo André, localizado no ABC paulista, foi um dos mais longos que se tem notícia. Lindimberg manteve sua ex-namorada, Eloá, refém por mais de 100 horas no apartamento da jovem de apenas 15 anos. Ele não aceitava o fim do seu relacionamento amoroso com ela.

Em todo momento a opção escolhida pelos policias foi a de não atirar e apenas negociar com o seqüestrador até um possível desfecho com todos sãos e salvos. Seria lindo se fosse assim. Provavelmente todos estariam aplaudindo a ação da policia. Mas cabem algumas indagações: Como levar a sério as palavras de uma pessoa que num ato de desequilíbrio seqüestra a ex-namorada e sua amiga por não aceitar o fim de um relacionamento? Ora, pelas palavras das autoridades que se mantiveram no local, o meliante apresentava variações de comportamento entre o agressivo e compreensivo. Nesse caso, como se pode ignorar que o pior possa acontecer? Outra queixa que se faz (e que eu confesso até agora não entender o real motivo) é sobre a devolução de menina Nayara para o seqüestrador após a mesma ter sido libertada. Será que é normal, a polícia tornar novamente uma pessoa refém num seqüestro?

E esse caso é mais um onde não há como livrar a mídia de culpa. A apresentadora Sônia Abraão se intrometeu nas negociações e falou ao telefone com Lindemberg. Será que ela imaginou que teria mais condições do que a polícia de resolver a situação?

Certamente, se tudo acabasse bem, sem ninguém hospitalizado, a ação da policia acontecendo da mesma forma que aconteceu, seria digna de aplausos, mas é preciso salientar, que numa situação dessas, em caso de escolha, deve-se preservar a vida das vítimas em detrimento da vida do meliante. O argumento utilizado pelo Coronel que comandou a atuação, de que a policia estaria exagerando se matasse um jovem sem antecedentes criminais, torna-se inválido se chegarmos a conclusão que todo criminoso já foi um jovem de ficha limpa um dia. Todos já cometeram seu primeiro crime.

Hoje o Lindimberg não é mais um jovem sem antecedentes criminais, mas que foi responsável por um crime que pode culminar na morte da jovem Eloá que se encontra em estado gravíssimo no Centro Hospitalar de Santo André.

Todos aqueles que assistiam o decorrer da situação estão chocados e muito mais sentidos, estão os pais da menina Eloá, que estão em tratamento psicológico. A polícia está sendo criticada por todos os lados. A vítima maior do seqüestro está entre a vida e a morte. Com isso, podemos afirmar que crer num desfecho automaticamente bom para todos os lados, foi sim um ato de incompetência. Por mais que dissessem que o seqüestrador era uma pessoa tranqüila e calma, estávamos observando bem como ele opta resolver seus problemas. Sabemos que ciúmes doentios são responsáveis por atitudes inesperadas e muitas vezes mórbidas.

Não há como voltarmos o tempo e escolher outro fim para isso tudo, mas espera-se que mais uma ocorrência lamentável, fique de aprendizado para policia que deve, diferente daquele que cometeu a ato, agir mais com a razão e menos com a emoção. E quanto a Lindimberg, é desanimador imaginar, que ao invés de um tratamento adequado com o objetivo de ressociá-lo, a prisão na qual ele ficará, tende a torná-lo uma pessoa com instintos verdadeiramente criminosos cometendo atos iguais ou piores como o desse caso. Infelizmente no Brasil, um erro dá seqüência para vários outros.





Deixe esse post melhor. Faça um comentário.

8 comentários:

André Rocha disse...

Wilson, acima de qualquer discussão filosófica acerca da ação da polícia, da necrofilia e do sensacionalismo sem precedentes de boa parte da imprensa ou de um debate sobre o perfil psicológico do sequestrador de Santo André, fica o lamento pelo desfecho trágico do caso.

Paz para a jovem Eloá, punição, mas também tratamento e ressocialização para Lindemberg e coragem para as famílias envolvidas.

Rui Moura disse...

E a boa sorte continua a bater à porta do Mengo!...

Abraços, amigo.

Danilo Damasceno disse...

A policia deveria ter atirado da primeira vez que teve chance, talves hoje a garota Eloa estaria entre nós.A midia é aproveitadora, sem sentimentos e mentirosa, logico nem toda a midia.Abração

Pitacos do Bodaum

Causos do Mineirin especial do brasileirão. Visite-nos e comente.

http://pitacosdobodaum.blogspot.com

Warley Morbeck disse...

Pena que a polícia não meteu uma azeitona no meio da testa desse infeliz.

E a rodada mais uma vez foi favorável ao Flamengo. Pena que temos Caio Junior no comando.

Warley Morbeck
http://flamengoeternamente.blogspot.com
http://eternabola.blogspot.com

Munigalo disse...

A polícia realmente errou. E o idiota do Datena fica babando o ovo e defendendo a polícia. Ela deveria sim ter esperado 24 horas, se o bandido não se entregasse, aproveitaria a primeira oportunidade e atiraria nele. Mas a polícia deixou que Lindemberg comandasse a negociação, fez o que quis e tinha tudo o que queria. E pior, deixar a Nayara voltar ao cativeiro foi um erro grave, seria menos uma vítima. Já a imprensa, não só a Sônia Abrahão, mas o programa da Record Hoje em Dia, o SPTV na Globo, fizeram entrevista como o sequestrador, e o pior achando que estavam ajudando a polícia. E a Sônia ainda se gabou se ter sido a primeira a entrevistar o bandido, uma verdadeira palhaçada...
Infelizmente, mais uma tragédia, mais uma vítima da incompetência da polícia. A polícia mineira dá de 10 na paulista, eu falo isso porque acompanho alguns casos em BH.
Abraço

EFRAIM disse...

Policia despreparada, jovem insâno, negligência plicial... Já vimos esse 'filme' antes! E acontece de novo. E depois de tudo, os fatos se transformam literalmente em um filme. Vide "Última Parad 174"!

Texto novo lá no blog Wilson, tanto no Verves quanto no Frames! Abraço!

Carlão Azul disse...

Tenho uma opinião diferente sobre o comportamento que a mídia vem tendo no Brasil. Espero que seja essa a sua indignação e o convido à voltar a esse tema.

Sensasionalismo, transformação do cotidiano trágico de um país tomado pela violência e bandidagem, em um show de espetaculosidade. A mídia não trabalha mais pra informar e formar opinião, mas sim pra vender jornal, auferir altos níveis de 'ibope' e quaisquer outros interesses menos nobres.

E as Eloah's? E as Nayaras? E as Isabellas? E suas famílias? Como ficam? O que acham? Como se sentiram em protagonizar tais eventos? Como se sentem (sentirão) após a "apoteótica" catástrofe?

Isso não sabemos. Não interessa.

Desculpe o desabafo.

Saudações Celestes

SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense – Blog 1º ano
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Wilson Hebert disse...

Caro amigo Carlão, tendo como base esse seu post, com as suas naturais indagações e tendo eu, participado de outros debates sobre o papel da mídia nesses casos onda há um maior apelo, eu farei nos próximos dias um post para falarmos mais profundamente sobre esse assunto. Não perca!

Abraços!