health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

O Rio de Janeiro se manifesta


O Brasil todo deve estar perplexo com as cenas lamentáveis e dolorosas que estamos sendo obrigados a ver nos últimos dias. Mas por incrível que pareça, isso não é nenhuma novidade em se tratando de Rio de Janeiro. A Cidade Maravilhosa está escancarando suas portas e janelas para todo o mundo.

Existe um histórico de enchentes graves e desastrosas com um grande número de mortos e um número maior ainda de desabrigados. Como bem lembrou o presidente Lula em um dos seus discursos sobre o episódio, o carioca já foi obrigado e enfrentar tal situação nos anos de 1966, 1988 e 1996. As autoridades sabem disso e sabem também as causas para que isso aconteça.

Infelizmente a maior besteira e hipocrisia que ouvimos falarem nesses momentos, é que as tragédias acontecem por que pessoas insistem em se assentar em locais de grande risco, vetados pela Defesa Civil. Acontece que é muito fácil chegar a essa conclusão quando se está arrumadinho, numa sala com ar condicionado e janelas bem fechadas, no maior conforto e segurança, apenas assistindo as gotas da chuva baterem sobre os vidros.

A realidade de grande parte da população, não apenas da carioca, mas toda a fluminense é BEM diferente. As pessoas não constroem barracos nos morros porque querem, porque acham que se trata de uma aventura “show de bola” ou porque querem passar por cima das proibições. Elas estão morando lá porque não há outro lugar para morar. Quando se criam amontoados habitacionais para essas pessoas, costumam fazê-los BASTANTE distantes do centro, para que a real pobreza não seja gritante aos olhos de quem vem visitar a cidade. Mas com isso, as pessoas ficam impossibilitadas de virem ao trabalho servir a esses mesmo que desde sempre trataram de ignorar o maior problema social do Rio de Janeiro. Do Brasil.

E olha que curioso. Mais uma enchente, possivelmente a mais devastadora de todas as grandes que aconteceram na cidade, veio após a escolha do RJ como sede das Olimpíadas 2016 e do país para a Copa 2014. E, um pouco antes das eleições 2010. Seria isso apenas uma coincidência?

E não! Isso não é um infeliz acontecimento da natureza. Não é pra se colocar a culpa em causas terceiras, que fujam da ação do homem. É culpa nossa, sim, mais precisamente daqueles que tem o poder público nas mãos. NÃO HÁ saneamento básico descente no Estado do Rio de Janeiro que dê conta da grande demanda populacional. NÃO HOUVE crescimento da cidade planejado. Foi tudo feito “de qualquer jeito”. A alta sociedade tentando encurralar os pobres para bem longe do centro, como já dito, e os operários, trabalhadores, ou seja, a parte prejudicada dessa disputa, se revirando como pôde, para ficar num local que ainda fosse possível arrumar um emprego para sobreviver.

E os políticos ainda possuem a insensatez de se dizerem vítimas da natureza. VÍTIMAS?!?!?!?!?! NATUREZA?!?!?!?!?!?!

Essa é a grande realidade, esse é o retrato fiel da Cidade Maravilhosa. É assim que vive grande parte da população e essas são as conseqüências de anos e anos com acúmulos de erros, falta de planejamento, de investimento e despreparo para lidar com o crescimento de segunda maior cidade do Brasil. Não é a cidade que está entregue ao caos. E a população pobre que está abandonada. Aliás, como sempre esteve...

* Lembrando que o apoio do blog FME às Olimpíadas no Rio de Janeiro se deve justamente ao fato deste evento ser visto como alguma possibilidade de melhoria urbana na cidade. Talvez, sem isso, continuaríamos sem nenhuma perspectiva de ação séria.

7 comentários:

Fernando Gonzaga disse...

é lamentável esta situação que está vivendo o Rio de Janeiro e seus moradores....

já passou da hora dos políticos pensarem em infra-estrutura....

abraço!!!

Douglas Nunes disse...

concordo com quase tudo que você diz, só que...

é claro que a culpa do que está acontecendo ai são de politicos que nao fazem saneamento, deixam os rios poluidos e etc, e é claro a parcela de culpa da população por vota nesses mesmos politicos e por tbm jogar lixo no chão...

Mas vem a parte que discordo, o cara que vai morar em um morro (sabendo do risco), nao paga imposto, nem luz e outra coisas mais esta totalmente errado...
é claro que muitas das pessoas nao tem condição, mas muitas outras se apertam e comparam ou alugaram casas e pagam todos os impostos e fazem tudo certinho..
achar que são coitados por morarem lá é incentivar a pessoas a construirem casas em qualquer lugar sem pagar o IPTU, nem nada.

é claro que existem casas irregulares em todo o estado, mas muitos preferem se amontoar em um morro perto dos grandes centros do que ir para baixada ou região dos lagos e etc o que é errado, não é questao de separar o pobre do rico, mas acho que TODOS tem que pagar as contas, seja pobre ou seja rico, e se nao tem condições de comprar algo em um lugar "nobre" tem sim que sair desse ambiente.

Wilson Hebert disse...

Amigo Douglas,

Eu concordo que todos, ao exercerem o papel de cidadão, precisam se integrar as normas da sociedade e isso inclui construir suas casas nos locais corretos e pagar todas as contas. Se não for no centro, que seja nas periferias.

Mas acontece, que se for pra construir sua casa afastado do centro, ele pode não conseguir emprego, porque aqueles que empregam, nao vao querer um funcionário que leve uma eternidade para chegar no trabalho. E sem emprego, sem salario, nao adianta ele ir pro lugar "dentro da lei", pois ele nao vai ter dinheiro para construir sua casa, muito menos para pagar as contas.

A partir disso, o dilema na vida dessas pessoas nao é "fazer casa em local proibido ou nao". Mas sim, "sobreviver ou não". Constroem na favela porque é mais barato e ainda garatem uma quantia para se alimentarem de forma digna.

Se eles tivessem condições de morar de forma mais conveniente pra eles e pra toda a sociedade, acredito que eles optariam por isso. Mas eles nao possuem essas condições.

Abração!

Douglas Nunes disse...

Discordo cara, existem empregos em todos lugares, e mesmo que nao tenham o que deseja no local, existem linhas expressas, metro.. Prova disso é a baixada fluminense que sempre teve muitos de sua população trabalhando no Rio (seja por um bom emprego ou nao)

COnheço varias pessoas que preferem morar em morros da cidade do Rio por exemplo para estar perto de praias ou pra dizer q mora na cidade e nao em outros lugares...

A questao é comodismo e não falta de condiçoes, se você vier conversar com familias que cresceram na baixada o que você mais vai ver é pessoas que nao tinha condiçoes nenhuma, mas mesmo assim sempre foram contribuintes, morava de alguel, até ter condiçoes de comprar um terreno e levantar a casa...

acho que desde o momento que uma pessoa sem condiçoes faça isso, todos podem.

Wilson Hebert disse...

Eu também discordo.

Acho muito complicado concluir que seja comodismo, quando se trata de pobreza, de pessoas reconhecidamente pobres (tirando aqueles que ganham dinheiro de outra forma).

E considerando que seja comodismo, para morar no RJ, perto da praia, você acha que as pessoas manteriam essa vontade mesmo sabendo que precisam conviver com o tráfico? Tendo que ser conivente com isso? Tendo que abrir sua porta para um bandido toda vez que a policia invade o morro? Tendo que a qualquer momento chegar ou sair de casa debaixo de um tiroteio correndo risco de vida?

Você acha mesmo que morar nos morros, nessas favelas, é algo proveitoso? Melhor?

Acho que não, Douglas. Insisto, as pessoas nao moram nas favelas apenas porque é mais barato ou porque nao pagam contas... Moram la e convivem com outras tantas dificuldades porque sao obrigadas!

Douglas Nunes disse...

Wilson

Você já viu o documentário “noticias de uma guerra particular” ??

No documentário os moradores reclamam da policia e dizem que os bandidos até compram remédio e comida para eles quando tem necessidade. Acho que uma pessoa que diz isso, não está incomodada com o trafico. Em algumas cenas, pessoas até apóiam os bandidos nas ações da policia.

E que obrigação é essa cara? Se ninguém da baixada fluminense tem essa obrigação por que eles tem?

Uso sempre a baixada, pois é uma região que conheço, posso falar precisamente de diversas famílias daqui.

Se uma senhora daqui, pode trabalhar como empregada domestica, sustentar seu filhos, viver de aluguel até com ajuda de seus filhos arrumar algum lugar para morar, porque alguém da favela não pode fazer o mesmo?

Ai pra mim a questão não passa ser não poder e sim não querer.

Michel Farias disse...

Também concordo com o Douglas, moro perto de uma favela e sei como é isso, muitos ali tem condições de no minímo pagar um aluguel, e não sai dali pq é mais comodo, não paga nada. Muitos defendem bandidos, aliás muitos tbm são parentes de bandidos e vêem aquilo como uma segurança. E não pensa que tudo na favela é pobreza, posso te garantir que existem pessoas ali que tem mais condições do que eu, a casa é melhor do que a minha, isso eu sei pq conheço.

É Fácil colocar culpa em outras pessoas na hora da tragédia. Não quero ser o advogado do Diabo, mas todos tem uma parcela de culpa nisso, posso está sendo até duro, mas acho que o povo tem a maior parte dessa culpa.


Abraços!!

http://ofuteboleoscariocas.blogspot.com/