health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

Federação Mexicana precisa se filiar à Conmebol


Nessa quarta-feira, os brasileiros amantes do futebol (ou parte deles), puderam acompanhar a primeira partida da final da Libertadores 2010, além de toda polêmica que a cercou, como a do gramado sintético. Mesmo com o placar de 2x1 para o Colorado, ninguém pode afirmar com certeza quem será o campeão, pois o futebol é o esporte que mais reserva surpresa aos seus apreciadores. Mas todos já sabem quem se qualifica para o Mundial: o Internacional.

Há alguns anos atrás, esse estudante de jornalismo que vos escreve andou pensando a respeito e concluiu ser errado termos times do país do Chapolin e do Chaves disputando a Libertadores da América (do Sul). Mas, posteriormente, esse reles mortal tornou a pensar, e pensou bem no assunto. Foi colocada na balança a importância técnica que Chivas, América, Pumas, Cruz Azul, Pachuca e tantos outros, somam ao certame e houve uma mudança de idéia. Uma outra conclusão foi encontrada. Bem mais lógica, por sinal.

Como todos nós sabemos, o futebol (ainda) não possui poderes para mudar a geografia planetária, mas que pelo menos pode mudar algumas organizações geográficas. Um exemplo é a seleção da Austrália. Ela sempre disputava as Eliminatórias para a Copa do Mundo pelo continente oceânico. E sempre se classificava. Com facilidade. Até que nos anos que antecederam a disputa na África do Sul, os representantes futebolísticos dos cangurus disputaram, pela primeira vez, o torneio de qualificação entre as seleções asiáticas. Classificou-se mais uma vez, porém, com uma queda de braço à altura.

O caso é parecido. Os times mexicanos acrescentam bastante à competição, inclusive, trazendo equipes mais fortes do que várias de outros países sulamericanos e, sobretudo, oferecendo estrutura digna em seus estádios para receber times de qualquer lugar do mundo, o que falta em muitos países vizinhos nossos. Apesar do gramado artificial, o estádio Omnilife não deixou sombra de dúvidas quanto a sua beleza, ao ser palco dos primeiros 90 minutos da decisão mais importante do futebol por essas bandas.

Apesar de fazer parte da região do continente americano, que tem EUA e Canadá, culturalmente, o México está muito mais ligado aos países da América Central pra baixo, mas que, futebolisticamente, precisam descer mais, até estacionar na América do Sul. Com isso, o Futebol & Variedades defende que a Federação Mexicana de Futebol passe a ser uma filiada da Conmebol.

Assim, acabaríamos com esse absurdo e sinal de atraso estrondoso, de termos equipes de um determinado país, que disputam a competição mais importante da parte sul do continente sem ter o direito a sua principal qualificação: uma disputa no Mundial. Para isso, mexicanos precisam vencer a Copa da Concacaf, sendo que entra ano, sai ano, mexicanos sempre são superiores “aos seus” na competição da galera do Norte. Então, que Chaves, Chapolin e Cia, juntem-se aos seus. No Sul.

6 comentários:

André Peixoto disse...

É, realmente, se olharmos para esse lado da estrutura dos estádios e qualidade dos times, os times do México certamente são melhores. É melhor um Chivas do que um Aurora da Bolívia, não é?

Felipe Delfim disse...

É, WH, eu concordo inteiramente com o que vc disse.

Além de ajudar na parte financeira, os times mexicanos são times muito mais qualificados tecnicamente. E tanto sabem disso que disputam a Libertadores, pois é muito fácil pra eles enfrentar times de Belize, Honduras, Canadá, Panamá, Trinidad & tobago na CONCACAF Champions League. Tanto é que, desde 2006, esse torneio é vencido por um mexicano.

Seria MUITO interessante se o México se afiliasse à Conmebol. A Libertadores iria ficar mais disputada, tendo em vista que eles poderiam se classificar para o mundial através daqui. E os mexicanos são times tradicionais.

Abração WH! A mudança no blog ficou show de bola hein! Inovar faz bem. ;)

Douglas Nunes disse...

Terei que discordar, foi um bom exemplo o que você utilizou sobre a Austrália, porém vale lembrar que é apenas a Seleção que está jogando pelas eliminatórias asiáticas, ou seja, no Maximo 12 confrontos divididos ao longo de dois anos, o que significa no Maximo 6 viagens de uma federação, além do fato de ter algumas semanas para se preparar para apenas 2 jogos na semana.

O mesmo não acontece com os clubes, um clube Brasileiro, principalmente do Sul faz uma viagem muitíssimo longa para chegar até o México fazer um jogo e voltar na madrugada de quarta-feira, chegar na quinta exausto e já ter um jogo no Domingo, levando ainda em consideração que possivelmente no Domingo anterior ele já havia feito um jogo.

O mesmo deve se pensar como um Mexicano, que tem que fazer 3 viagens em todas as libertadores com uma imensa distancia, podendo simplesmente ir aos Estados Unidos e enfrentar um clube de lá pela Liga dos Campeões da Concacaf.

Tecnicamente seria muito bom, da mesma forma que a Libertadores fossem com todos os clubes da América sendo que nem a Liga dos Campeões, onde Países como Honduras, Cuba, Guatemala e outros teriam seus campeões jogando uma pré-fase contra os 4° colocados de Argentina e Brasil, 3° colocados de Uruguai, Chile e etc... da mesma forma que lá, onde Letônia, Israel, Chipre jogam eliminatórias e os melhores de centros mais fortes já entravam na fase de grupos, porém tudo isso seria difícil se analisar as viagens para alguns desses países.

Wilson Hebert disse...

Eu entendi que vc discordou, Douglas.

Mas só para ficar mais claro: vc é a favor da retirada dos mexicanos da competição?

Porque um fato que vc criticou no seu comentário, que são as viagens de times do Sul para o México e vice-versa, é algo que já acontece. E o pior, em vão, porque a maior qualificação da TLA, os times mexicanos não tem direito.

Wilson Hebert disse...

Obrigado pelos elogios, Delfim! =D

Douglas Nunes disse...

Exato, sou a favor da retirada dos clubes mexicanos da competição sim, exatamente pelas viagens.

Tudo bem que o Chivas chegou a final dessa Libertadores, mas vale lembrar que eles chegaram a por times mistos em campo por priorizar o campeonato mexicano, o mesmo aconteceu com outros clubes.

Eles não fazem isso simplesmente porque a Libertadores não da vaga no Mundial e sim porque são viagens muito longas enfrentar clubes sul-americanos no meio de semana e logo voltar para mais uma rodada de campeonato Mexicano, porque enquanto os Brasileiros, Argentinos e etc só fazem UMA ou no Maximo DUAS grandes viagens ao longo de toda competição, enquanto eles fazem TRÊS só na fase de grupos, caso busque o titulo serão SETE.

Apesar de toda evolução física dos jogadores, serão SETE jogos de Campeonato Mexicano (1/5 dos jogos) onde a condição física não serão das melhores.
Tenho certeza que se fizer uma pesquisa com mexicanos a maioria vai preferir continuar na Concacaf, não só por ter maior facilidade de ser campeão e sim pela proximidade, imagine o tempo de viagem e o custo de um torcedor mexicano para vim ao Brasil ou Uruguai torcer em uma eventual final de Libertadores, com certeza vão preferir viajar para o país vizinho.

Como eu disse anteriormente, eu até gostaria que em um “mundo dos sonhos” eles disputassem a Libertadores se ela fosse totalmente com toda a América de fato, acho que não há razão para dividir as Américas no quesito Futebol. Mas o custo e o Tempo sempre vão atrapalhar isso.