health

[cinema][bleft]

Technology

business posts

Quando o prestígio balança


Por Wilson Hebert

Zico quando esteve em campo, comandava seus companheiros. Levava, literalmente, o Flamengo às vitórias. Dava e fazia gols. Enfim, resolvia. Vanderlei Luxemburgo, durante alguns anos (com boa parte na época de mata-mata no Brasileirão), foi apontado como o melhor técnico do Brasil. Para reforçar essa idéia, venceu o primeiro Campeonato Brasileiro por pontos corridos, em 2003, pelo Cruzeiro, com uma campanha que dificilmente será batida por outra equipe.

O tempo passou. Mais para o Galinho, já que suas façanhas aconteceram na década de 80. Menos para o Luxa, que só perdeu o posto de top com o surgimento do furacão Muricy Ramalho, que fará cinco anos (contando o vice com o Inter em 2005 e os três títulos com o São Paulo no triênio posterior).

Hoje o que ambos possuem em mãos são verdadeiros problemas. O ex-camisa 10 da Gávea exerce, pela primeira vez, uma função na diretoria do Fla. Fora do campo, vê as coisas não acontecerem como desejava. Já Vanderlei assumiu o comando técnico do Atlético-MG para um projeto de dois anos visando recolocar o clube na rota dos grandes do país, disputando títulos nacionais e Libertadores da América.

Recentemente, como já dito aqui no blog, a torcida rubro-negra assumiu a posição de fiel escudeira, lançando campanha na internet que parou nas arquibancadas do Maracanã de apoio incondicional ao eterno ídolo. Pelas bandas dos alvinegros mineiros, a coisa tem uma ilustração completamente oposta. Inúmeros atleticanos já pedem a saída do atual treinador.

Mas analisando caso por caso, podemos ver que o buraco é bem mais profundo. Vai além da opinião completamente passional dos torcedores cujos quais os dois precisam dar satisfação.

No caso do técnico, que na partida entre as duas equipes chegou a ser pedido por torcedores flamenguistas, o rótulo de ultrapassado já convive com suas atuais inglórias. E, além disso, a imprensa começa o acusar de viver de grife, ser lembrado apenas por ter criado um nome forte por feitos que vão se perdendo no tempo futebolístico. De fato, Luxemburgo foi engolido pelo atual técnico do Fluminense na disputa de treinadores, e se vê ficando atrás de outros mais jovens, como Mano Menezes, segundo nome a ser lembrado pela CBF depois do famoso “não do Muricy”.

Com relação ao novo dirigente do futebol brasileiro, conselheiros contrariados com a sua chegada após crise política vivida no inicio da gestão da presidente Patrícia Amorim, como publicado na revista ESPN na edição de julho de 2010, fazem corrente oposicionista ao seu trabalho. Seus métodos, o fato do salário ser pago por patrocinador, a falta de pressa nas contratações e, obviamente, o fechamento da torneira usada para hidratar empresários freqüentadores do clube mais querido do país, incomoda uns e outros.

O próprio Zico, ao justificar a recente demissão do ex-treinador, Rogério Lourenço, disse que tal fato acontecia não pelos resultados, mas por pressão da torcida. Mas não só ele como o Luxa, realmente não podem virar as costas para os da arquibancada, mas precisam pensar mais em si mesmos e nos respectivos clubes.

De fora, sem freqüentar as entranhas dos dois ambientes, a necessidade parece ser de sentar e colocar o “preto no branco”. Nesse último domingo, em partidas que aconteciam simultaneamente, os dois times venciam seus jogos e tomaram viradas quase inacreditáveis (2x1 Palmeiras e 2x1 Guarani). Equipes que precisavam da vitória como Galo e Fla jamais podiam permitir tal reação dos adversários.

O Galinho de Quintino, assim como Vanderlei Luxemburgo, podem e devem reunir os jogadores para cobrar. Exigir postura, comprometimento. Eles possuem prestígio para uma atitude como essa.

Tem horas que a questão não é apenas técnica ou física, mas também a de estímulos (ou a falta de). Com jogadores que por vezes ficam no jogo em ritmo de treino – até quando jogam entre si -, o entusiasmo parece inexistir. Pra vencer assim, sempre será difícil. Quase impossível.

3 comentários:

Daniel disse...

Fala, Wilson, tudo certo? Aqui é o Daniel Junior, do Blog Aliterasom.

Estou escrevendo para vocês para informar que indiquei o “Futebol&Variedades” para receber o selo Blog de Ouro, conforme o link http://aliterasom.wordpress.com/2010/09/04/blog-de-ouro/ .

Grande abraço para você, meu velho!

Daniel Junior
Blog Aliterasom
http://www.imprensarocker.wordpress.com

Daniel Jr disse...

Coloquei o site errado embaixo da assinatura:

http://www.aliterasom.wordpress.com

Wilson Hebert disse...

Opa.

Em nome da equipe Futebol & Variedades agradeço imensamente sua indicação. Muito obrigado mesmo!

Forte abraço!